Todas as Raças – Nosso parceiro para adoção de animais.

Gatos para doação clicando aqui!

Jardel

Jardel tinha só 4 meses quando foi resgatado, mas já não caminhava, não tinha forças e suas patinhas começavam a atrofiar.

Na clínica, constataram uma severa desnutrição que o impedia de ficar em pé.

Hoje, um mês depois, já forte e recuperado, ele corre por tudo e sonha com uma família.

Jardel tem 5 meses, já está castrado, vacinado e desverminado.

Será de porte médio para grande e pode tranquilamente morar em apto ou casa com pátio. É muito amistoso!

Para adotá-lo, entre em contato com:

Katya Leitzke

kleitzke@uol.com.br

(51) 9985-3753.


Lili

Quem vê essa mocinha toda serelepe e sempre feliz, nem imagina que ela tenha sido resgatada fraca e faminta.

Hoje, totalmente recuperada, é um poço sem fim de alegria e energia.

Excelente para quem tem crianças.

Lili tem cerca de 5 meses, já está castrada, vacinada e desverminada.

Vai ser de porte médio, pouco menor que um labrador.

Para adotá-la entre em contato com:

Katya Leitzke

kleitzke@uol.com.br

(51) 9985-3753.


O Mundo Animal de Bibiana – Parte I

Olá, meu nome é Bibiana, mas esse não é o primeiro nome que eu tenho, é o que me deram agora, na última semana.

Vim até aqui para contar minha história a vocês.

Incrível como o mundo dá voltas, não? Ainda sou novinha, e já estive em situações de vida bem diferentes!

Eu tenho cerca de 3 ou 4 anos, não me lembro bem, e já não há ninguém que possa dizer minha idade com certeza, mas lembro que quando era pequena, morava num lugar muito bonito, eu e minha irmã de pelo pretinho, junto com outra mana pequena como nós, mestiça de linguicinha. Passávamos o dia brincando e éramos muito bem cuidadas.

Um dia, eu não sei o que houve, mas não nos permitiram mais sair da área de serviço. Logo depois, meus donos conversaram com a senhora que ia até lá fazer faxina, e em troca de 15 reais, ela nos levou com ela.

Nossa vida mudou radicalmente!

Essa tia era muito querida, mas não tínhamos mais caminhas confortáveis, não passeávamos nem pra ir no veterinário, a ração foi trocada por restos de comida, e passamos a conhecer o que são pulgas e carrapatos. Como não tínhamos sido castradas, cada cio nosso resultava em ninhadas de vários nenês. Eles nasciam fraquinhos, uns morriam de doenças, e os que não morriam acabavam sendo abandonados na rua ou doados para qualquer criança que os achasse bonitinhos. Tenho que confessar que uma vez cheguei a comer meus filhotes. Eu estava muito fraca, eles foram minha única fonte de energia e proteína…

Então, de repente, meu mundo deu mais uma volta e a senhora que nos abrigou em troca de 15 reias faleceu. Seu filho definitivamente não gostava de nenhuma de nós. Abriu a porta e nos colocou na rua. Foi duro… De uma hora pra outra perdemos o pouco de conforto e segurança que tínhamos, e pra piorar, estávamos prenhes!

Vagamos algumas semanas pelas ruas perto da casa onde estávamos vivendo. Comiamos restos de lixo, fugíamos de agressões de humanos, escapávamos por pouco de atropelamentos, nos abrigávamos como podíamos da chuva, do frio e do sol. Uma de nós deu a luz na rua, no meio do lixo e cuidou o melhor que pode de dois nenês lindos.

Mas eu comecei dizendo que o mundo dá voltas, lembram? Então!

A umas semanas atrás, o rapaz que nos colocou na rua comentou o fato com uma pessoa, que ficou horrorizada e contou a uma amiga. Essa amiga resolveu agir e foi atrás de ajuda para poder tirar a gente da rua, conseguiu quem nos buscasse e faltava um lugar onde pudéssemos ficar. Nossa irmã mestiça de linguicinha que já tinha dado a luz a dois nenês conseguiu lugar numa clínica onde vai ficar até que todos sejam doados (ela até já adotou outro nenê que chegou lá sem mamãe). Minha irmã pretinha conseguiu um lar temporário onde vai esperar adoção e eu não tinha pra onde ir ainda, até que um tio muito, muito legal ofereceu lugar para mim num hotel canino maravilhoso! Gente, estou no Mundo Animal!!

Quem diria, eu, que já comi lixo, que não tinha onde dormir, estou agora toda limpinha, sem nenhuma pulga, saudável e toda acomodada numa baia lindíssima aqui no hotel do Mundo Animal? Isso aqui é o máximo! Tem caminha com cobertorzinho, água e ração boa à vontade, hora de brincar, hora de dormir, lugar pra pegar um solzinho, brinquedinhos, tias cuidadosas e queridas, enfim, é o paraíso!

Estou sendo tão bem tratada e me senti tão à vontade que até já dei a luz aos meus nenês. Duas meninas cor de chocolate, e um meninão grandão que é a minha cara!

E sabe do melhor? Vou poder ficar aqui nesse bem bom até que eu e meus nenês sejamos adotados.

Se você tem um cãozinho, você PRECISA conhecer o hotel do Mundo Animal. Se você não tem, bom, você pode vir até aqui pra me conhecer e aos meus nenês. Quem sabe você não resolve adotar um de nós?

Semana que vem vou postar mais fotos dos meus nenês e contar as novidades da próxima semana, ok?

Por enquanto, muito obrigada por terem me tirado da rua!!!

Lambidas da Bibiana!


Bolacha

Segunda feira, dia 18/12 , a caminho de um compromisso as 18:30, ao passarmos pela rótula da Saturnino, vimos o cão das fotos abaixo, na calçada em frente a uma empresa, visivelmente agitado e cansado.
Estava de peiteira azul, motivo pelo qual deduzi que estivesse perdido.

Paramos para avaliar a situação e então entendemos que a agitação dele era um desespero por querer entrar na empresa. Ia e vinha de um lado ao outro no portão da empresa tentando entrar, corria para a beira da calçada e voltava novamente para a frente do portão. Consegui me aproximar oferecendo ração úmida, e conectei a peiteira na guia que trago sempre comigo, assim não teria mais risco de correr para a rua e ser atropelado.

Ligamos para os números que aparecem no letreiro em frente a empresa, mas ninguém atendia. Nesse meio tempo um senhor, vizinho da empresa, apareceu e contou que o cão apareceu ali uns dias atras e alguém da empresa o colocou para dentro e alimentou, mas como o cão latia muito, essa pessoa ofereceu para um vizinho, que não quis ficar com ele e então, o pobrezinho acabou na rua sem entender nada e desesperado para voltar onde se sentia em segurança.

Foi abandonado. Mais um.

Demos o nome de Bolacha, e levamos para a clinica onde será castrado amanhã.

Bolacha agora está para adoção.

É de porte pequeno, muito simpático e serelepe, tem cerca de um ano e será entregue castrado, desverminado e vacinado.

Tem a língua roxa do Chow Chow e o corpo compridinho do Dashund. Quando está feliz, enruga a testa.

Para adotar o Bolacha, entrar em contato com Katya Leitzke
kleitzke@uol.com.br
(51) 9985-3753


Duas cadelinhas com no máximo 2 meses de vida. Já estão recebendo vermífugo e suplemento alimentar e precisam encontrar um bom lar para crescerem fortes e saudáveis.

Contatos com Fernanda Zanettini
fezanettini@hotmail.com


Contatos com Fabi
fabpoa@gmail.com.br
(51) 9128-7305


Por uma vida melhor para Laika

Laika parecia ter nascido com sorte. Tinha poucos dias de vida quando foi resgatada com sua mamãe e mais 9 irmãos.

Ganharam cuidados, conforto e segurança e aos poucos, foram sendo todos adotados.

Laika ganhou um lar com um grande pátio e a adotante se responsabilizou em fazer a última dose de vacina, a única que faltava. Porém, como infelizmente as vezes acontece, essa pessoa achou que não havia necessidade de vacinar a Laika, afinal, só faltava uma dose…

Foi então que a vidinha da Laika começou a mudar.

Um dia, recebemos uma ligação da adotante dizendo que a Laika não estava bem já fazia alguns dias, estava doente, e ela não tinha como providenciar atendimento.

Prontamente fomos até a casa da adotante e levamos até a clínica.

A Laika estava com parvovirose, já bem desidratada, e teria que travar uma luta de 12 dias para conseguir se recuperar. Os primeiros dias foram muito preocupantes, mas ela enfrentou com bravura, e sempre abanava a cauda feliz ao nos ver.

Ao final dos 12 dias, Laika havia vencindo a luta contra a Parvo, já estava feliz e animada apesar de ainda muito magra e debilitada. E então, começaram os sintomas de Cinomose….

Novamente Laika teria que enfrentar uma difícil batalha para sobreviver, e dessa vez, ela estava mais debilitada e com a imunidade baixa.

Foram 20 dias em que vimos a Laika lutar pela vida enquanto ia ficando cada vez mais tristinha. Mas ela foi valente, e apesar de estar então muito diferente fisicamente – muito magrinha, sem o viço que tinha antes – novamente sua vontade de viver venceu.

Mas essa doença maldita não ia aceitar a derrota sem deixar uma sequela terrível… Laika estava com glaucoma nos dois olhinhos!

Iniciamos mais uma luta, dessa vez para que Laika recuperasse pelo menos parte da visão de um dos olhos. Mas essa batalha, infelizmente, Laika perdeu…

Semana passada, após avaliação de dois veterinários especialistas em oftalmologia,  tivemos que optar por um procedimento para “secar” os olhinhos da Laika, pois a cegueira já era irreversível, e Laika tinha muita dor nos olhos e na cabeça.

Agora Laika ficará sem dor, mas terá que se adaptar a uma nova vida de escuridão.

Estamos muito tristes, mas sabemos que, graças a Deus, os animais se adaptam a cegueira muito melhor que nós, humanos.

Queremos tirá-la da clínica, para que ela possa receber o carinho e atenção que merece e precisa, depois de tanto sofrimento, e de um desfecho tão triste.

Procuramos um ambiente familiar, onde Laika possa esperar uma adoção definitiva se sentindo amada e segura.

Tudo o que ela precisa é um cantinho, carinho e segurança para recuperar a alegria de viver, que ela tinha de sobra. Ela é do tamanho de um Cocker, mas mais magrinha e delicada.

Laika tem apenas 7 meses, e já está cansada de lutar…

PS : Jamais deixem de dar as 3 doses de vacina em seus animais!

Para ajudar a Laika, entre em contato com Katya Leitzke
kleitzke@uol.com.br
(51) 9985-3753


Pancho

O Pancho é um garotão de 6 meses cheio de amor, carinho, atenção. Adora brincar com meia velha. Obedece comandos de “senta”, “nao” e “traz aqui”. Faz suas necessidades no banheiro e reclama quando não limpam! Nos horários de refeições, senta embaixo da mesa sem incomodar. Na hora de dormir, faz festa na cama enquanto arrumam, mas logo vai para o cantinho dele e ali fica a noite toda. Quando quer atenção, pega um dos brinquedos e larga na frente de quem quer brincar.

Pancho será de porte grande, mais ou menos do tamanho de um labrador.

Tem 6 meses, já está vacinado e desverminado.

Para adotar o Pancho, entre em contato com:
Katya Leitzke
kleitzke@uol.com.br
(51) 9985-3753


Timóteo

Depois de ser atropelado e maltratado na rua, Timóteo foi resgatado na zona norte de Porto Alegre.
Está saudável, já foi desverminado, vacinado, castrado e está sem pulgas.
Tem possível cruza de Schnauzer, e uma tosa dessa raça fará dele “um novo cão”!
Possui um temperamento excelente. Convive muito bem com outros cães, é super simpático, adora receber carinho e ficar deitadinho do lado da gente.
É muito alegre e agradecido.
Adora passear e fica quietinho para colocar a guia.
Bom tamanho para morar em apto.
Tem dois anos, porte médio e pesa 8 kg.


Contatos com Katya Leitzke
kleitzke@uol.com.br
(51) 9985-3753


A grande família!

Capitulo de hoje: Em busca de adotantes legais.
A Grande Família foi despejada e agora estão todos procurando adotantes.
São 6 filhotes de 4 meses.
Já estão desverminados, sem pulgas e com duas doses da vacina importada.
São filhos de mãe de grande porte e pai mix de Basset.
Pela forma como estão se desenvolvendo, ficarão todos parecidos com o pai, orelhudos, e mais ou menos do tamanho de um labrador.
Castração obrigatória a baixo custo aos 6 meses.

Quem quiser adotar algum deles, entre em contato com Katya Leitzke
kleitzke@uol.com.br
(51) 9985-3753